Uruguai de carro – roteiro e documentação

Padrão

Nós sempre viajamos pelo Brasil de carro, mas viajar com o nosso carro para o exterior foi a primeira vez! Escolhemos ir para o Uruguai pela proximidade, e nesse post contamos sobre nosso roteiro, onde comprar pesos uruguaios e os documentos necessários para sair com o seu carro do Brasil e viajar tranquilo!

Como viajamos durante o inverno, decidimos fazer uma viagem mais “urbana”. Nessa época, as cidades praianas do Uruguai ficam quase desertas, vários estabelecimentos fechados e um vento super gelado. (Rs)

Documentação em dia

Antes de pegarmos a estrada, providenciamos alguns dos documentos necessários para viajarmos com carro próprio em outro país e observamos alguns detalhes que nos proporcionam tranquilidade quando viajamos.

Fomos ao Consulado do Uruguai em Florianópolis e conversamos com o cônsul, que nos deu as informações e várias dicas sobre o país. Além do usual seguro-saúde, que pode ser contratado junto à sua agência de viagens, levamos também:

  • Passaporte com validade vigente: sempre vale a pena conferir a validade do seu passaporte, certifique-se de que o prazo para vencer seja maior do que 6 meses. Você pode viajar também com a sua identidade (RG), desde que esteja em bom estado e com foto atual. Levamos os dois, mas utilizamos apenas o passaporte.
  • Carta Verde: este documento deve ser contratado com dias de antecedência em alguns bancos, seguradoras ou com o consultor de seguros de carros de sua preferência. A carta verde permite a circulação de carro estrangeiro em todos os países do Mercosul por período determinado em sua contratação, o valor também varia de acordo com esse período. Contratamos por 11 dias e custou R$124,00. Durante a viagem, antes de passarmos pela fronteira com o Chuy uruguaio vimos alguns anúncios de despachantes com ofertas de carta verde, com plantão 24h, mas costuma ser mais caro. É melhor sair de casa prevenido, até para ganhar tempo. Fomos informados pelo consulado uruguaio no Brasil que, carros estrangeiros que viajam pelo Brasil devem ter este documento impresso em papel verde, por via das dúvidas, fizemos isso.
  • Documento do carro (vigente) em nome de um dos condutores. Se o carro não pertencer à um dos condutores, é necessário ter em mãos uma declaração/autorização para utilização do veículo (em viagem) com firma reconhecida.
  • CNH: carteira de motorista do condutor principal do carro, e de outros possíveis condutores do carro.

Seguir essas conformidades garante a passagem pela fronteira em poucos minutos, já que a ansiedade de chegar é grande… Rs. Apresentamos o passaporte e pegamos o permiso (carimbo como o do visto) na aduana em território uruguaio – este local da imagem abaixo. No retorno fizemos o mesmo, mas na aduana do Brasil.

Dica: Nunca deixe de ir à aduana, em qualquer país! Há quem diga que não é necessário parar na aduana, mas que temos que torcer para não sermos “pegos” pela polícia.

IMG_3519

Aduana del Chuy – Uruguay

Estradas no Uruguai e dicas de condução

Encontramos estradas em boas condições e com boa sinalização por todo o nosso percurso e também nas localidades. A maior parte das vias é de mão dupla, com exceção da Ruta Interbalnearia, que é duplicada e liga Punta del Este à Colônia de Sacramento, passando por Montevidéu.

Em grande parte do percurso, principalmente do Chuy até Punta del Este, o visual é de campos verdes e fazendas, com pouco movimento de carros. Mas vá com calma… Observamos que os motoristas uruguaios andam sempre dentro dos limites de velocidade da via e quase nunca tentam ultrapassar… parece o Brasil?

Não há postos de fiscalização polícia nas estradas, mas fomos surpreendidos por algumas ‘blitz’ em pontos inesperados. Em uma delas fomos parados, o policial levou nossos passaportes, CNH do motorista e carta verde para consulta e em alguns minutos fomos liberados.

Dicas importantes

  • Regras de trânsito como usar cinto de segurança, ‘se beber não diriga’, são as mesmas do Brasil.
  • Estar sempre com os faróis acessos, mesmo durante o dia, é obrigatório em áreas urbanas, interurbanas e rurais.
  • Pedágios (Peaje, em espanhol) devem ser pagos apenas com pesos uruguaios, leve os valores em espécie, e custam sempre $U 75 (ou 75 pesos uruguaios, ou ainda 75 UYU) – valores de julho/2016.
  • Atenção aos limites de velocidade e os muitos pardais, grandes causadores de multas, e se levar uma multa, esta deverá ser paga na hora.
  • Evite infrações como excesso de velocidade e parar em locais proibidos, seu carro poderá ser apreendido.
  • Há poucos postos de combustível na estrada, sugerimos que mantenha o carro abastecido, quando tiver oportunidade
  • Carros alugados não estão autorizados a atravessar a fronteira.
  • Muitos hotéis não tem estacionamento e quando tem é cobrado um valor de uma diária para carros que quando consultamos variava de 10 até 30 dólares. Antes de fazer suas reservas de hotel, verifique se o estabelecimento dispõe estacionamento próprio e se é cobrada a diária.
  • O combustível no Uruguai é mais caro. Enquanto pagávamos R$3,79 no Brasil – valores de julho/2016, no Uruguai pagamos cerca de R$5,00 (convertendo pesos em reais).

Onde comprar pesos uruguaios

Tentamos comprar em casas de câmbio, bancos e agências de viagem ainda em Florianópolis, antes da viagem, mas sem sucesso. Pensamos em levar alguma quantia de dólares, mas fomos informados de que não seria necessário. E realmente, no Uruguai, com exceção dos pedágios, conseguimos pagar hospedagem, alimentação e combustível com reais ou cartão de crédito.

Então saímos de casa com ‘nossos reais’ e no Chuí (brasileiro) antes da fronteira, enquanto abastecíamos o carro conseguimos fazer o câmbio na loja de conveniência do posto de gasolina. Bastante informal, mas garantimos os valores para os pedágios.

Depois encontramos casas de câmbio facilmente nas localidades, mas com valores que variam bastante. Encontramos ofertas de câmbio de $U 7 até $U 8,50 por R$ 1,00, sendo que o maior valor (em $U) aumenta nosso poder de compra.

Vale utilizar o cartão de crédito em muitas situações, pois o imposto cobrado para transações em moeda estrangeira (IOF) é deduzido da conta no momento do pagamento, e consta na sua via da nota.

IMG_3457

BR 101 – início da viagem

Roteiro de 11 dias

Nosso roteiro incluiu as cidades de Punta del Este, Colônia de Sacramento, com direito a um dia em Buenos Aires e Montevidéu. Saímos de Florianópolis no dia 15/julho, percorremos cerca de 700 Km até Pelotas, onde pernoitamos. Escolhemos fazer a travessia da fronteira pelo Chuy, a estrada (BR 471) é uma via de mão dupla, em bom estado e tem pouco movimento. Passamos por um longo trecho entre a Lagoa Mangueira e a Lagoa Mirim, o visual é lindo e pudemos avistar muitos bandos de capivaras. Logo cedo, após o café da manhã, seguimos para Punta del Este.

Nessa época do ano, as temperaturas no Uruguai raramente passam dos 10*C, esteja sempre agasalhado. Ainda assim encontramos muitos brasileiros por lá e apesar do frio, vivemos dias ensolarados. Choveu apenas no dia em que chegamos e no dia de ir embora, então pudemos aproveitar muito os passeios ao ar livre…

Distâncias percorridas

  • Florianópolis – Pelotas: 709 Km
  • Pelotas – Chuy (fronteira): 256 Km
  • Chuy – Punta del Este: 218 Km
  • Punta del Este – Colônia de Sacramento: 309 Km (passando por Montevideo)
  • Colônia de Sacramento – Montevidéu: 180 Km
  • Montevidéu – Jaguarão (fronteira): 416 Km
  • Jaguarão – Pelotas: 142 Km
  • Pelotas – Florianópolis: 709 Km

Punta del Este

Dia 1 – Check-in no Kalá Hotel Boutique, em La Barra, distante 10 minutos de carro do centro de Punta. De noite parrilla (autêntico churrasco uruguaio) no restaurante El Palenque.

Dia 2 – Conhecer a escultura Los Dedos e visitar o Puerto de Nuestra Señora de la Candelaria (o Porto de Punta del Este) e pôr do sol na Casapueblo. Jantar na Av. Gorlero, a principal da península, com vários restaurantes e lojas.

Dia 3 – Aproveitando as instalações do hotel. Tentar a sorte no cassino do Conrad Resort & Casino. Jantar no restaurante à beira mar Club de Pesca.

Dia 4 – Check-out em Punta del Este e viagem para Colônia de Sacramento.

Colônia de Sacramento

Dia 4 – Check-in na Posada El Viajero e conhecer o centro histórico a pé ao anoitecer. Jantar em um dos restaurantes da praça, nosso escolhido foi o Mezón de la Plaza, sempre degustando um vinho local, muito bom.

Dia 5 – Alugar bicicletas e circular por todo o centro histórico. Pôr do sol à beira do Rio da Prata.  Ir ao Puerto de Colonia (a pé) comprar passagens do Buquebus para no outro dia fazer a travessia do Rio de la Plata de balsa para conhecer Buenos Aires por um dia.

Dia 6 – Passagens compradas: ida 9h30 e retorno às 18h. Do Puerto Colonia até Puerto Madero, na Argentina, são 50 km de balsa e cerca de 1h de viagem. Já em Buenos Aires, utilizando o metrô (subte, em espanhol), conhecemos o Cemitério da Recoleta, Obelisco de Buenos Aires e Plaza Mayor. Almoçamos por lá e de noite comemos um delicioso chivito (típico sanduíche uruguaio).

Dia 7 – Conhecer os museus que contam a história da cidade. Comprar alfajores e doce de leite uruguaio para levar para casa. De tão bom, resolvemos repetir o chivito.

Dia 8 – Check-out em Colônia e viagem para Montevidéu

Montevidéu

Dia 8 – Check-in no hotel Tryp, no Barrio Punta Carretas, em Montevidéu. Jantar delicioso no restaurante Sa Cuina em Punta Carretas (recomendamos!).

Dia 9 – Caminhada de 6 km pela orla de Montevidéu até o Marcado del Puerto (mercado gastronômico próximo ao porto). Pelo caminho, muitas casas antigas e a vista do Rio de la Plata.

Dia 10 – Passeio à Feira de Tristán Narvaja, além de antiguidades, você pode encontrar kombis vendendo queijos, pimentas, doces de leite, roupas, discos e todo tipo de quinquilharias. E pode até ouvir uma banda de rock n’roll tocando na calçada.

Dia 11 – Dia de começar a voltar para casa. Check-out no hotel e pegar a estrada rumo ao Brasil, agora em direção à fronteira de Jaguarão, passando pela cidade de Treinta y Tres. Em Jaguarão, paramos na aduana para carimbar o passaporte e registrar a saída do Uruguai. Oportunidade de compras nos outlets! Paramos em Pelotas novamente para pernoite e seguimos para Florianópolis, chegando em casa no dia 12.

Bom demais!

Pelo caminho fomos fazendo o registro dos pedágios e no total (ida e volta) gastamos quase R$ 200,00 entre Brasil e Uruguai.

Foi uma viagem corrida, mas muito bacana. Vamos contar com detalhes como foi conhecer cada uma das localidades, mas nos próximos posts! 🙂

Enquanto isso, aprecie algumas imagens…

IMG_3499

BR 471 – entre Lagoa Mirim e Lagoa Mangueira – Brasil

IMG_3526

Forte de Santa Tereza – Puerto Garzón – Uruguai

IMG_3597

Punta del Este – pensa numa ventania gelada…

IMG_3650

Casapueblo – Punta Ballena – Uruguai

IMG_3657

Pôr do sol na Casapueblo

IMG_3767

Colônia de Sacramento – Uruguai

IMG_3788

Colônia de Sacramento – Uruguai

IMG_3834

Plaza Mayor – Buenos Aires – Argentina

IMG_3943

Mercado del Puerto – Montevideo – Uruguai

IMG_3985

Feira de Tristán Narvaja – Montevideo – Uruguai

Mostraremos mais imagens da nossa viagem ao Uruguai nos próximos posts… Aguardem!

🙂

 

Anúncios

»

    • Agradecemos muito, Daniela!! E ficamos felizes que você gostou!! Essa organização toda antes de viajar dá trabalho, mas do tipo que nem sentimos de tão bom que é viajar!! 😉

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s